sexta-feira, 19 de junho de 2015

SESSÃO "POESIA DO DIA", (19-06-2015)

Poesia do dia (19-06-2015)

Inaugurando a sessão “A poesia do dia”, escolhi a poesia 
“Todas as cartas de amor são ridículas”, de Fernando Pessoa (Poesias de Álvaro de Campos). 


Boa Leitura poética!

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Álvaro de Campos, 21-10-1935

Fonte da poesia: http://www.insite.com.br/art/pessoa/ficcoes/acampos/508.php


Fonte da imagem: http://wwwivancomjesus.blogspot.com.br/2011/01/fernando-pessoa.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre os Direitos Autorais

Em obediência à Lei 9.610/98 (Lei de Direitos Autorais), qualquer informação deste BLOG poderá ser reproduzida desde que citada a fonte. Quem assim não o fizer, poderá ser penalizado de acordo com o artigo 184 do CÓDIGO DE PROCESSO PENAL em vigência.

Blogs que Colaboro